segunda-feira, 29 de março de 2010

Quando eu era pequenina

.... sonhava ser cabeleireira. Depois costureira. Depois bailarina. Segui-se a fase séria e decidi ser advogada. Acabei jornalista e amo o que faço.
Nenhuma delas é mais ou menos valiosa do que a outra. Todas elas implicam uma sabedoria. Todas implicam um dom. Algumas implicam uma licenciatura. Em todas merecia ser remunerado aquele que se empenha, que faz o seu trabalho e que é competente. Em todas elas há quem ganhe melhor e pior, agora: fazer greve porque só ganha 1020 euros por mês???? Será que "a classe" tem a noção de quanto ganham pessoas tão licenciadas quanto eles e que já passaram o início dos inicios de carreira?

Os enfermeiros planeiam uma greve. Os enfermeiros em início de carreira queixam-se. Queixam-se de só receber um salário de 1020 euros/mês.
Eu não consigo encontrar uma injustiça nisto. Serei só eu?

5 comentários:

Anónimo disse...

Sei, por isso reclamo. Se soubesse quanto gastei e continuo a gastar em formação permanente paga do meu bolso, talvez compreendesse melhor a nossa frustração e tristeza. Mas não se preocupe, quando os melhores de nós emigrarem, a senhora pode continuar a fazer queixa de nós... se ficar cá algum...

cj disse...

Meu, caro. Acredite que o que escrevo também é tristeza e não por desdenhar. Digo-lhe porque sei, que a formação nas outras áreas também sai do bolso de quem a quer fazer e não das entidades patronais ou do estado. A grande diferença é que em outras classes se ganha metade daquilo que a classe dos enfermeiros não quer. E, sabe, muitas dessas pessoas que ganham essa tal metade ,estão muito longe de ser maus profissionais ou de não ter capacidades. Apenas digo que há bastantes pessoas, nas mais diversas áreas para que se formaram, a ter muitas mais dificuldades.

Gonçalo Santos disse...

Anónimo,

ao invés de se escudar no anonimato seria sensato (seguindo a linha de alguns dos seus colegas) dar a "cara" por uma greve que, depreendo, acha justa e com fundamentos sustentáveis.
Lamento discordar da sua posição. Sabe quantos licenciados existem em Portugal? Sabe quantos estão no desemprego? Enumere-me lá meia dúzia de empresas que estejam a pagar mais de 1000 euros/mês aos empregados licenciados? Se o senhor(a)soubesse da vida de muitos deles, se calhar ia roubar para lhes dar. Numa altura em que o país está virado do avesso valham-nos enfermeiros como o senhor(a)! Já agora pergunto: porque não emigra? Aproveite a boleia de um qualquer piloto da TAP (isto, se tiver sorte e eles não estiverem em greve) e pire-se! Eu, e a generalidade dos portugueses, não vão sentir a sua falta, garanto-lhe!

Anónimo disse...

Por acaso tb acho que tás parva...1020 euros não é nada para a responsabilidade e os anos de estudo destas pessoas. ainda se me falasses dos pilotos...epá aí tudo bem, mas os enfermeiros têm todo o dto e legitimidade para se queixarem dos míseros 1020 euros...

SaintWolf disse...

Sr. Anónimo(a)
No dia em que virem médicos a trabalharem como enfermeiros de outras nacionalidades a aceitarem 600€ para fazerem o mesmo trabalho dos nossos "licenciados" maioritariamente cábulas e projecto-pagantes (sei bem do que falo) aí, Sr. Anónimo(a) é que vai de velinha para um qualquer país aceitando "míseros" 1020€ onde o ordenado médio é de 2500€. Bem melhor assim não?
Pois o ordenado médio em Portugal cifra-se pelos 1000€ e é o que recebem. É mau? Ah... e os bons horários que tÊm para fazer horas em clínicas privadas e ganharem bem aí? Não conta?
Viva a greve e a li(v)erdade de expressão.
Viva mais ainda a coerência e inteligência.
E "Manso é a tua tia pá!!!" :)